Imagens em Movimento

Loading...

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Jesus Cristo é minha religião



Abaixando a 'crista' diante do Cristo

Por Diego Polachini

Não precisamos de religião. Precisamos de Jesus Cristo. Não precisamos de dogmas ou sacramentos. Precisamos, sim, de um modelo de conduta que nos leve à perfeição (por mais utópico que possa parecer). Religião afasta os homens de Deus. Jesus os atrai ao Pai.

Vejam o que Paulo diz: “Não que já a tenha alcançado, ou que seja perfeito; mas prossigo para alcançar aquilo para o que fui também preso por Cristo Jesus. (...) Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.” – Filipenses 3:12,14

O primeiro passo para “alcançar a perfeição” é o reconhecimento da depravação em que nascemos. Todos, sem excessão. “Todos se extraviaram, e juntamente se fizeram inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um só. (...) Porque todos pecaram, e destituídos estão da glória de Deus” - Romanos 3:12,23.

O filósofo grego Sócrates disse um dia: “Só sei que nada sei”. Despretensioso quanto ao próprio conhecimento, Sócrates nos oferece nesta simples frase o mais profundo entendimento do ser humano: o reconhecimento da ignorância.

A pior prisão para o homem é a ignorância. O pior erro do ser humano diante de Deus é a soberba. Na filosofia, a libertação do homem só começa quando ele se dá conta de que “está no escuro”. Com Deus é a mesma coisa.

Para encontrarmos o caminho da perfeição em Deus por meio de Jesus Cristo é preciso reconhecer que somente ELE é perfeito e que somos miseráveis pecadores. Não precisamos de sermões cansativos e repetitivos. Não precisamos de sacramentos, promessas ou penitências.

O que nos coloca no caminho estreito da salvação é o reconhecimento dos pecados, arrependimento verdadeiro da prática de todos eles e o desejo de seguir firme para o alvo. O restante estará ao cargo de Deus.

O que passar disso é de procedência maligna e está em desacordo com a Palavra de Deus escrita nos 66 livros da Bíblia.

Vamos olhar para dentro de nós mesmos e parar de nos importarmos com os nossos pares. Se soubéssemos quão vasta é a viagem ao nosso interior não perderíamos tempo com coisas menores.

Yigdal Elohim Chai - Seja Exaltado o Deus Vivo

2 comentários:

  1. Diante dessa linda realidade textualizada, a nossa petição será ...

    DEUS Eu quero me esvaziar de mim, quero me esvaziar da religiosidade, de todos os meu títulos e de tudo o que me afasta de Ti, Jesus

    Eu quero me esvaziar das dores e desilusões, me esvaziar das prosões do passado pois tudo isso me afasta de Ti,

    Veja em meu blog o artigo 'COMO AGRADAR A DEUS'

    http://esopoe.blogspot.com/2010/12/agradar-deus.html

    OziOE http://esopoe.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Temos uma necessidade egoísta de estarmos sempre certos. Afirmamos com a maior facilidade que o outro está errado. É muito difícil para nós aceitarmos que o outro pode estar certo, quanto mais dizer do fundo do coração:” Eu posso estar errado, inclusive em minha opção religiosa”.
    O Homem está sempre em busca de verdades, de respostas às suas dúvidas e soluções para seus problemas. Essa busca está relacionada ao divino, ao sobre natural. E, geralmente, é na religião que essa busca se concentra. A opção religiosa é um direito constitucional. Toda pessoa tem o direito de escolher sua religião. Mas esse direito não lhe permite desrespeitar as demais. O entendimento e o respeito mútuo auxiliam para uma conversa sadia, uma troca de idéias a respeito da diversidade religiosa.
    As coisas só fazem sentidos se contextualizadas; respeito, fé, humildade, caridade devem estar inclusos no contexto religioso independente da denominação da religião (ou igreja), ou, até da falta de religião.
    Só chegaremos à maturidade espiritual quando conseguirmos falar com o coração, sem barreiras religiosas, sem preconceitos, sem usar do poder para influenciar.

    ResponderExcluir