Imagens em Movimento

Loading...

sábado, 23 de janeiro de 2010

Eis que tudo se repete



Não há segurança fora da Rocha

Por Diego Polachini

O que faz você pensar que está seguro? Sua casa? Família? Um carro? Um bom emprego? Presença de supostos amigos? Pois eu te digo com absoluta propriedade: nada do que você possui nesta vida vai poder te livrar do Juízo de Deus. Em breves passagens a seguir veremos que o tempo está no fim, que não há mais nada a ser feito para reverter o caos ecológico, econômico e social que já estamos vivendo. Basta abrirmos os olhos e apenas enxergar.

O primeiro relato bíblico referente à destruição do mundo e do homem pelas mãos de Deus está em Gênesis 6:5-7: “E viu o SENHOR que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra e que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente. Então se arrependeu o SENHOR de ter feito o homem sobre a terra e pesou-lhe em seu coração. E disse o SENHOR: Destruirei o homem que criei de sobre a face da terra, desde o homem até ao animal, até ao réptil, e até a ave dos céus; porque me arrependo de havê-los feito”.

Mas havia ali um bom homem, de coração reto, íntegro, que achou graça diante de Deus. Noé andava com Deus, era justo e perfeito em suas gerações. Ainda no versículo 13 do mesmo capítulo: “Então disse Deus a Noé: O fim de toda a carne é vindo perante a minha face; porque a terra está cheia de violência; e eis que os desfarei com a terra”.

A maldade, a corrupção, o ódio, a imoralidade e toda sorte de imundices havia tomado conta da espécie humana, exceto ao justo Noé, que andava com Deus. Toda carne vivia em abominação e profanação contra o Criador, despertando um pesar no Seu coração por ter criado o homem e ao mesmo tempo acendendo grande furor ao ponto de querer eliminar a raça humana da face da terra.

Isso é preocupante. Por quê? Preste atenção: vivemos em dias piores do que aqueles que precederam o dilúvio! O amor se esfriou, a compaixão acabou. Os homens tornaram-se egoístas, avarentos, adúlteros (não somente no sentido de traição marital), idólatras, mais amantes dos prazeres, da carne, do que de Deus. Deleitam-se nas suas prostituições, orgias e bebedices. Ignoram o pobre e o necessitado. Ignoram que sua passagem pela terra leva no máximo 70, 80 anos, número pífio diante da grandeza dos tempos.

Atualmente vivemos em escala mundial os dias que antecederam o dilúvio!

Atente para o que vou dizer agora: Noé recebeu ordens de Deus para construir uma Arca e assim escapar do dilúvio. Conhecendo a Deus como conhecia, ele tratou de iniciar os trabalhos diligentemente. Enquanto isso, todos os seres humanos da terra o chamavam de louco, de lunático, de fanático. Ele sabia o que iria acontecer por andar com Deus. Quem caminha com o Todo-Poderoso não corre perigo. Noé até tentou alertar o povo, mas foi em vão. Eles não queriam ouvir.

Assim acontece nos dias de hoje. Nós, Cristãos verdadeiros, temos construído nossa Arca porque Deus já anunciou que o fim é chegado. Ao mesmo tempo temos tentado avisar o maior número de pessoas possível para que entrem na “Arca” junto conosco, mas em vão temos falado. Chamam-nos de loucos, lunáticos, fanáticos e toda espécie de adjetivos subversivos ante nosso trabalho.

Jesus Cristo é nossa Arca. Somente por meio dele é que poderemos escapar do Juízo que se aproxima a passos largos desta terra. Você não vai precisar construir qualquer tipo de barco para escapar de um novo dilúvio (a não ser que você viva em Rio Preto, rsrsrs), mas deverá construir uma vida firmada na Rocha verdadeira, no Filho do Deus Altíssimo. Não há meio termo. Não há outra forma. Eu bem que queria poder dizer a você que existe um atalho ou uma maneira mais fácil para escapar da morte eterna, mas não há. No evangelho de Cristo não existe tolerância. Ou é, ou não é.

Convém lembrar ainda que algumas grandes cidades da história como Nínive, Babilônia e Sodoma foram destruídas por Deus devido o aumento da profanação, idolatria e imoralidades. Elas foram avisadas dos erros que estavam cometendo, mas estavam mais ocupadas com suas carnalidades do que com os desígnios de Deus.

Assim é hoje. Cada vez mais estamos ocupados, atarefados, atribulados. Os dias passam e até comentamos: “nossa, hoje o tempo voou”. Sim meus amigos, o tempo está abreviado, conforme relatam as Escrituras. A cada dia surgem novas ocupações, novos projetos, situações que fazem de você apenas um número em meio a multidão, sem rumo, eira nem beira. Foi para isso que saiu do ventre da sua mãe?

As coisas do “mundo” são verdadeiros banquetes, agradáveis aos olhos e saborosos na boca, mas no estômago, ou seja, no seu interior, produzem morte. E morte eterna. A estratégia inimiga é exatamente esta: mantê-lo ocupado o suficiente para nem lembrar que Deus existe. E mais: impedir você de chegar ao verdadeiro e único evangelho de Cristo, aquele que salva.

Reflita neste vídeo que segue e avalie (Clique Aqui). Além do caos espiritual que vivemos, a economia mundial está falida, o ecossistema absolutamente comprometido e as sociedades já não conseguem diferenciar o que é moral do imoral. O que é puro do que é impuro. O resultado disso é confusão. E confusão gera morte eterna.

Yigdal Elohim Chai

Nenhum comentário:

Postar um comentário