Imagens em Movimento

Loading...

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Crônica de uma tragédia anunciada

Água, energia e caos social

Por Diego Polachini

Quero chocar você para o que vem pela frente em nosso planeta. Não sou nenhum “profeta do apocalipse”, mas vou tentar sistematizar e contextualizar aquilo que praticamente todos estão vendo, mas não estão nem um pouco interessados em enxergar. E a verdade é esta: estamos vivendo o tempo final!

Hollywood produz todos os anos dezenas de filmes que mostram uma possível destruição da terra, seja por ondas gigantes, chuva de fogo, nevasca, grandes terremotos ou o que for. Mas jamais trataram de salientar em qualquer de suas produções que isso tudo estava previsto por Jesus, como relatado na Bíblia nos livros de Mateus 24:7, Marcos 13:8 e Lucas 21:11.

O ser humano é pequeno, fraco e impotente. Pequeno: vejam a magnitude de uma enchente diante de um homem sendo arrastado e morto, por exemplo. Fraco: ao observer uma catástrofe, a primeira e única reação do homem é correr e se esconder. Impotente: ao correr, nada lhe resta a não ser aguardar para juntar os cacos no final de tudo.

Outra situação: a última grande enchente em Rio Preto, acontecida no dia 18 de janeiro, causou uma pane no maquinário da estação de abastecimento de água do município. Por consequência, 60% das residências e estabelecimentos foram afetados por falta d’água nas torneiras nos últimos dois dias. O resultado disso foi comércio parado, restaurantes fechados, munícipes recorrendo às bicas e fontes alternativas e o retorno do velho banho de “canequinha”.

Ao mesmo tempo encontramos residências e ruas repletas de sujeiras, banheiros e locais de acúmulo de detritos orgânicos sem a devida limpeza. E se não houver eletrecidade? Vivemos no ano passado uma noite de apagão que deu pra ter noção de quão perdidos ficaremos.

Os impactos da ausência de energia, por exemplo, acabariam com a distribuição de água potável em questão de horas, alimentos e medicamentos perecíveis seriam perdidos entre 12 e 24h; serviços de esgoto, telefones, transportes, abastecimento de combustíveis seriam interrompidos, etc.

E se a eletrecidade levasse alguns meses para ser restabelecida? Segundo uma pesquisa, durante este período os bancos poderiam estar fechados e o comércio internacional seria suspenso. “Sistemas de emergência seriam levados ao limite e o controle e comando poderiam ser perdidos”, escreveram os pesquisadores da Universidade do Colorado, nos EUA.

“Sejam catástrofes terrestres ou incidentes do clima espacial, os resultados podem ser devastadores para as sociedades modernas que dependem, de uma miríade de modos, em sistemas tecnologicamente avançados”, afirmaram os cientistas em uma declaração divulgada junto com o relatório. Você acha mesmo que estamos protegidos de algo desta natureza?

A verdade é uma só: o buraco é muito mais embaixo do que você vê na televisão ou acompanha pela internet. E não é o buraco de ozônio…



Caso não consiga visualizar o vídeo, clique aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário