Imagens em Movimento

Loading...

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Por que não voto no PT?



Alguns esclarecimentos

Por Diego Polachini

Preciso manifestar os motivos pelos quais sou contra os projetos do PT, do Lula, e da maioria dos partidários desta sigla. Não há nada de pessoal. É puramente filosófico e ideológico. Uma breve explanação.

Não dá pra negar que o Brasil, sob o governo do presidente Lula, avançou em muitas áreas. É fato que a economia está fortalecida, que muita gente saiu da linha da extrema pobreza – mas continua pobre - e que grandes investimentos foram realizados. Nada mais que a obrigação.

Porém, ao mesmo tempo, muita coisa deixou de ser realizada, como, por exemplo, as reformas política e fiscal, investimentos em saneamento básico e infraestrutura. No entanto, os motivos reais pelos quais me colocam em oposição a este governo são de ordem ideológica.

Sou contra a política do pão e circo. Lula, em algumas ocasiões, disse que “o pobre não vota com a cabeça, mas com o estômago”. Ou seja, para esta classe, que é maioria no Brasil, pouco importa quem está no comando e o que tem feito. O que vale é a comida na mesa.

Sou contra, também, de tudo que faz referência a “domínio absoluto”. O PT nunca negou que tem interesse em controlar o País de alto a baixo e em definitivo. A exemplo disso, algumas declarações do “mensaleiro” José Dirceu e do ministro da Comunicação Social, Franklin Martins, permeiam neste sentido.

O Estado Democrático de Direito, como é o caso do Brasil, deve zelar pela liberdade de imprensa e expressão. É a garantia de que nenhuma (utópico isso) força totalitária vai impor seu sistema de governo mesmo que demande o uso da brutalidade.

Concordo com Franklin Martins quando ele diz que “uma imprensa livre não significa que ela seja boa”. A qualidade da informação que é difundida depende essencialmente da qualidade dos jornais, dos jornalistas e dos sistemas de informação. Não podemos, também, confundir “liberdade de imprensa” com “libertinagem de imprensa”.

Apesar de ser jornalista, creio que existem muitos abusos de ordem ética na prática da profissão e que precisam ser revistos. Porém, não da forma como o PT sistematicamente tem proposto por meio dos seus deputados estaduais e federais, que pretendem, de certo modo, controlar e monitorar órgãos de imprensa.

Os governos anteriores ao do Lula não saíram ilesos de escândalos e de corrupção. Não há paladino na política, infelizmente. Mas as sucessivas revelações de esquemas e favorecimentos intermediados principalmente pela Casa Civil do atual governo superaram todas as previsões mais pessimistas.

O principal ministério da Presidência da República teve dois dos seus comandantes (Zé Dirceu e Erenice Guerra) depostos por corrupção. Mas o presidente Lula “não sabia de nada”. É aí que reside a minha indignação: a mentira e a dissimulação do Chefe do Estado. Isso eu não tolero.

Outra coisa que me causa ojeriza: sistematicamente, Lula insiste em achincalhar e desmerecer o governo do tucano Fernando Henrique Cardoso. Como se quisesse “riscar da história” do Brasil que um dia ele fora presidente. Errado. Todos os presidentes, inclusive José Sarney, Fernando Collor de Melo (aquele que foi derrubado) e Itamar Franco tiveram sua importância nos respectivos períodos.

Cada um ao seu modo e diante de perspectivas diferentes fizeram o que deveria ser feito. Collor abriu os portos brasileiros. Itamar Franco e FHC foram responsáveis pela criação e implantação do novo modelo econômico do Brasil, o Real. Quem viveu a inflação nos anos 90 sabe o quanto esta mudança foi fundamental para o início do crescimento do País.

Mas Lula insiste em jogar o povo contra o tucano, inflamando a massa na tentativa de desmoralizar o ex-presidente. Quem tem raciocínio lógico e uma boa dose de memória sabe como a atitude corajosa de Itamar e Fernando Henrique foi fundamental para os alicerces financeiros do Brasil. Devemos isso a eles. E a mais ninguém.

O crescimento do País seria conseqüência. Lula sempre soube disso. E não dá pra negar que Lula foi (e é) inteligente. Se o PT tivesse efetivamente implantado suas idéias difundidas desde a fundação as sigla, o Brasil não estaria entre as principais economias do mundo, um dos países emergentes de maior destaque.

Lula critica ferozmente FHC, mas seguiu à risca a cartilha econômica do PSDB. Ou você acha que o semi-Deus de Caetés daria sua glória ao “tucano de bico comprido”? Nunca. Ele não tem humildade suficiente nem para mencionar os governos de Collor e Sarney, seus antigos inimigos mortais, hoje amigos íntimos e aliados.

Estas são algumas das situações que não me deixam gostar de Lula e do PT. Mas isso não significa que eu não simpatize com alguns petistas, como é o caso do rio-pretense João Paulo Rillo, eleito deputado estadual. Eu inclusive já havia dito isso ao próprio JP.

No Brasil não se vota em partidos, mas em pessoas. Esta é uma cultura eleitoral, infelizmente. Porém, quando falamos em nível nacional, devemos pensar os candidatos com seu todo, com suas composições e pessoas aliadas.

Ao ver os amigos do Lula/Dilma – os internacionais Ahmadinejah, Fidel, Chavéz, Evo – que são Chefes de Estado legitimamente favoráveis ao totalitarismo, e ao comparar com a proposta de uma política liberal que a oposição propõe, deixa claro não temos muito a escolher. É votar contra. Têm também os tupiniquins Zé Dirceu, Palocci, Delúbio, Valério, Genoíno, Erenice...

Votar contra o PT não significa que sou a favor do PSDB. Isso não é verdade. No entanto, os petistas insistem nesta política maniqueísta de “se não são por nós, são contra nós”. O que eles chamam de “a turma do contra”. Lamentável.

Voto em José Serra 45 porque acredito que a principal reforma que precisa ser feita no Brasil é de ordem moral. Não dá pra saber se o tucano vai conseguir realizar, mas tenho certeza absoluta que não é a “turma do Lula” que vai se meter nisso.

Espero que compreendam minha posição. Votem em quem quiser. A liberdade da democracia brasileira nos permite isso. Sejamos livres, sempre.

2 comentários:

  1. Muitos dizem muita coisa e, cada vez mais, são menos convincentes.
    Texto com argumentações coerentes e objetivas!!

    ResponderExcluir
  2. Olá Thaís, obrigado pelo comentário e pela indicação do blog.

    Vamos em frente lutando pela maravilhosa liberdade!

    ResponderExcluir